Gastroparesia: como o diabetes pode influenciar o funcionamento do estômago

Postado em 20/09/2018

Gastroparesia: como o diabetes pode influenciar o funcionamento do estômago

Gastroparesia: como o diabetes pode influenciar o funcionamento do estômago

O diabetes pode causar diferentes efeitos negativos no corpo, e o dano ao sistema nervoso é o mais conhecido dentre eles. O dano aos nervos geralmente causa à pessoa com diabetes redução na sensibilidade dos membros ou formigamento nas mãos e nos pés. Além disso, uma consequência de grande impacto, que poucos conhecem, é a alteração do funcionamento do estômago.

O que é gastroparesia?

A gastroparesia é uma condição também conhecida como retardo no esvaziamento gástrico. O músculo vago é responsável pelo correto funcionamento dos músculos do estômago, que se contraem para digerir a comida e movê-la pelo trato gastrointestinal. Quando ele não atua adequadamente, ocorre o retardo no esvaziamento gástrico, um distúrbio que desacelera e pode até parar o trânsito de alimentos entre o estômago e o intestino delgado.

Qual a relação do diabetes com a gastroparesia?

A glicemia elevada pode gerar, a longo prazo, danos nos vasos sanguíneos que alimentam os nervos. O mal funcionamento dos nervos não permite que os órgãos controlados por eles funcionem da maneira correta, e assim, estes apresentam falhas. A gastroparesia é um caso de mau funcionamento dos órgãos por falta de irrigação sanguínea dos nervos.

O estômago demora para enviar o alimento digerido ao intestino, causando diversos sintomas que podem ser desagradáveis, entre eles:

  • Plenitude abdominal.
  • Náusea e vômitos.
  • Dores na área do estômago.
  • Falta de apetite.
  • Refluxo gastroesofágico.
  • Inchaço abdominal, mesmo após a ingestão de pouco alimento.

A gastroparesia pode dificultar o controle da glicemia, pois os alimentos ficam retidos no estômago. Ao realizar a medição da glicemia após as refeições, os níveis parecerão baixos, porém, quando o alimento for enviado ao intestino, ocorrerá um pico glicêmico.  É importante buscar a orientação do seu médico caso sinta algum dos sintomas citados; existem exames não invasivos para identificar a gastroparesia.

É possível tratar a gastroparesia?

O tratamento da gastroparesia inclui o controle da glicemia e pode até levar à cura. As mudanças nos hábitos alimentares também podem ser benéficas para o tratamento desse distúrbio, muitas vezes, ajudando a controlar os sintomas. Diminuir a quantidade de alimentos ingeridos por refeição pode auxiliar, pois evita que o estômago fique cheio e facilita o esvaziamento.

Evitar alimentos gordurosos e fibrosos, e líquidos gasosos também pode ajudar no esvaziamento gástrico. Frutas e vegetais crus são mais difíceis de digerir do que outros alimentos. A gordura retarda naturalmente a digestão. Por isso, após uma refeição, em vez de se deitar, recomenda-se ficar sentado ou caminhar por 2 horas para ajudar o processo digestivo.

Em caso de náusea, vômito ou desidratação, recomenda-se procurar um médico ou um pronto-socorro para receber atendimento especializado.

 

 

CORP-1267436-0000 PRODUZIDO EM AGOSTO/2018 VÁLIDO POR 2 ANOS

Chat