Ainda não se conhecem as causas exatas da hipertensão ocular, no entanto, esta ocorre quando o humor aquoso (líquido transparente que circula de dentro para fora do globo ocular) não é expelido na mesma quantidade em que é produzido, causando o aumento da pressão intraocular e danificando o nervo óptico, que é a parte mais frágil do olho.

Como consequência, começam a surgir pontos cegos no campo visual que, em geral, vão afetando de uma forma sutil a visão periférica, alastrando-se, aos poucos, para a visão central.
Na fase final do glaucoma, as últimas e mais resistentes células da visão central se perdem e pode ocorrer cegueira.

Na maioria dos casos, o glaucoma não causa sintomas que indiquem os primeiros sinais da doença. Tais sintomas e sinais podem passar despercebidos até que ocorram danos mais graves no nervo óptico. Assim, a maioria das pessoas afetadas não sabe que sofre de glaucoma, já que a perda da visão periférica é praticamente imperceptível e os sinais de perda da visão central só começam a revelar-se numa fase mais avançada da doença.